Igreja Católica celebra o Tríduo Pascal


 17/04/2019 - Após a Quaresma, a Igreja se prepara para viver a sua maior festa.

A Partir da Quinta-feira Santa, a Igreja Católica no mundo inteiro celebra o Tríduo Pascal, ou seja, as celebrações que acontecem entre a tarde da Quinta até o Domingo. Em todas as Paróquias acontecem as celebrações litúrgicas deste tempo. O Arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson, preside as celebrações na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves.

Durante esses dias, se celebra desde a última ceia de Jesus com os discípulos, onde temos a instituição da Eucaristia e o lava-pés, passando pela condenação e morte de cruz até a ressurreição. “Esta é, para os Cristãos Católicos, a maior e mais importante Semana, onde solidificamos a nossa fé e a nossa razão de ser Igreja. Celebrar a paixão, morte e ressurreição do Senhor é celebrar o amor de Deus pela humanidade e uma oportunidade singular de conversão, de mudança de vida, de ser uma nova pessoa, um verdadeiro cristão”, comenta Dom Delson.

Na Quinta-feira, antes do início do Tríduo Pascal, acontece a Missa dos Santos Óleos (ou Missa do Crisma). Nesta celebração, todo o clero se reúne na Catedral, diante do Arcebispo, para a renovação das Promessas Sacerdotais. É nesta ocasião que os Óleos Sacramentais são preparados e abençoados para serem usados até o Domingo de Páscoa do próximo ano. A Missa será às 9h.

QUINTA-FEIRA SANTA

Na Catedral, a Missa da Ceia do Senhor e Lava-pés acontece às 17h. Todos os anos, são escolhidas 12 pessoas para representarem os discípulos e terem os pés lavados e beijados pelo Arcebispo. Este ano, pessoas em situação de rua e agentes da Pastoral de Rua farão este papel. “Buscamos trazer, com este gesto, as atenções para as pessoas em situação de rua na nossa cidade. A Igreja luta, diariamente, pela dignidade de vida destas pessoas, com todo tipo de assistência – médica, jurídica, social – e queremos que a sociedade e os governos olhem para estes cidadãos e vejam que são seres humanos que não podem ser esquecidos ou deixados para trás”, explicou o Pe Adriano Soares, Vigário Paroquial da Catedral.

Esta celebração marca, para a Igreja, a Instituição da Eucaristia. “Com o gesto de Jesus de repartir o pão e o vinho com Seus amigos e pedir que fizessem o mesmo em Seu nome, no dia do grande sacrifício, Ele deixou para nós este gesto bonito da comunhão. Com a tradição apostólica, demos continuidade ao pedido do Senhor e hoje todos os cristãos são convidados a participar deste banquete, que simboliza união e partilha”, explicou o Arcebispo.

SEXTA-FEIRA SANTA

Este é o único dia do ano em que não se celebra a Santa Missa. A Igreja celebra a Paixão de Cristo com uma celebração onde são feitas as leituras bíblicas que narram o dia da morte de cruz. “A Sexta-feira Santa não é dia de luto, mas de silêncio e oração. Os cristãos devem silenciar para que possam refletir profundamente sobre as dores de Jesus, que passou por tudo isso por amor a nós”, comenta Dom Delson. Após a Celebração, que acontece às 15h, os fieis seguem para a Procissão do Senhor Morto, onde as pessoas caminham em clima de silencio e oração levando a imagem do Cristo descido da cruz.

Neste mesmo dia, também na Catedral, acontece a Via Sacra às 9h (no interior da Igreja) e o Ofício da Agonia, ao meio dia.

SÁBADO DE ALELUIA

Este é o dia da chamada Vigília das Vigílias. Na noite do Sábado de Aleluia (ou Sábado Santo) a Santa Missa é marcada por momentos importantes: bênção do fogo (Liturgia da Luz) e o batismo de novos cristãos (Liturgia do Batismo). Nesta celebração, rica em simbolismos, todas as luzes da Igreja são apagadas e apenas o Círio Pascal é aceso. A partir dele, todos vão acendendo suas velas. “O Círio representa a Luz de Cristo e, a partir dele, temos vida, temos luz”, diz Dom Delson. Na Missa também são batizados novos cristãos, normalmente jovens e adultos pertencentes à comunidade, que passaram pela devida preparação.

A noite do Sábado de Aleluia marca a Vigília pela ressurreição do Senhor, celebrada no Domingo de Páscoa. Na Catedral, a Missa do Sábado será às 19h.

DOMINGO DE PÁSCOA

O Domingo de Páscoa é a grande festa da Igreja, dia que se celebra a ressurreição de Jesus. “Páscoa vem do hebraico – Pessach - que significa passagem; é a passagem da morte para a vida! Com a ressurreição, Jesus nos mostra que as trevas jamais vencerão e que o amor de Deus sempre triunfará. Nós devemos celebrar a Páscoa com a passagem para uma nova vida, transformada, livre do pecado, dispostos a uma verdadeira conversão. E tudo isso foi proposto e vivenciado durante o Tempo da Quaresma”, comenta o Arcebispo da Paraíba.

O Tempo Pascal se estende por 50 dias, até a Festa de Pentecostes, que marca o dia em que os discípulos receberam o Espírito Santo. Este ano, Pentecostes será celebrado no dia 9 de junho e a Arquidiocese da Paraíba prepara um grande evento, que deve reunir milhares de pessoas no ginásio O Ronaldão.

Na Catedral, Dom Manoel Delson preside a Missa das 9h da manhã. Outras Missas serão celebradas às 6, às 11h e às 17h.


Assessoria de Imprensa e Comunicação da Arquidiocese da Paraíba

Contatos

  •  Endereço: Palácio do Carmo - Praça Dom Adauto, s/n
    Centro - João Pessoa (PB)
  •  Fone:(83) 3133-1000
  •  E-mail: curia@arquidiocesepb.org.br

Mídias Sociais

Facebook Instagram

© Mitra Arquidiocesana da Paraíba – Todos os direitos reservados